11 streaks que tiveram seu fim

Ao longo dos anos surgiram várias streaks, algumas não tão importantes, outras que definiram eras. listamos neste artigo as maiores streaks que tiveram seu fim.

Streak têm como significado a acumulação de vitórias ou derrotas. Ao longo dos anos surgiram várias streaks, algumas não tão importantes, outras que definiram eras. Neste artigo iremos reunir as 11 maiores streaks que tiveram seu fim.

Undertaker 21-1

Publicidade

Ultimate Loss



Depois de ganhar o Intercontinental Title de Ricky “The Dragon” Steamboat no dia 3 de Junho de 1987, Honky Tonk Man fez de tudo para manter o title com ele; contou com a ajuda de Jimmy Hart, de sua namorada Peggy Sue, às vezes também de sua guitarra, e claro, da sorte, para ficar com o cinturão Intercontinental por 14 meses e 27 dias.

Então chegava o Summerslam de 1988, e Honky Tonk Man estava marcado para defender o seu título contra Brutus “The Barber” Beefcake, isso até o campeão atacar o barbeiro e deixá-lo sem condições para lutar. Momentos depois, o roqueiro chegava ao ring, e informando da lesão do Brutus, Honk estava tão relaxado no show que desafiou qualquer lutador para enfrentá-lo pelo título. Tudo estava calmo para ele, até ouvir uma theme familiar. Era a theme song de Ultimate Warrior, que correndo que nem louco pela oportunidade, entrou no ring e depois de 35 segundos, vence a luta e é o novo Intercontinental Champion! Pois é Honky, foi bom enquanto durou… Nem retornar em uma Royal Rumble consolaria você depois disso…

And Girls Just Wanna Have Fun!



No dia 18 de Setembro de 1956, um title feminino estava vago, depois da luta entre The Fabulous Moolah e Judy Grable… Bom, nunca mais a palavra “vago” estaria relacionado com o Women’s World Title, porque depois da vitória de The Fabulous Moolah, 28 anos se passaram e o title não mudou de mãos nenhuma vez. Um dia então, uma wrestler chamada Wendi Ritcher desafiou Moolah pelo title, e enquanto isso, Captain Lou Albano e Cindy Lauper estavam em rivalidade, e para saberem quem iria se sair superior, decidiram fazer parceria com Moolah e Ritcher respectivamente na decisão no show de Julho de 1984, “Brawl To End It All”… É por aí mesmo, acreditem.

Tudo estava bem na match, até que em uma tentativa de roll-up feita por Moolah, a contagem de pinfall foi até o 3 e a polêmica foi desenvolvida, pois estava claro que um dos ombros de Wendi estava levantado, mas a tudo rolava normalmente como se isso não tivesse acontecido, com Moolah comemorando com Albano, quando de repente, no momento de anunciar a vencedora, ao se ouvir as palavras “And the new…” Wendi ficou muito feliz ao saber de sua vitória, comemorando o seu novo reinado junto com a Cindy Lauper, e enquanto disso, Moolah não acreditava nisso, e junta com o Lou Albano discutiram com praticamente todo mundo que estavam dentro do ring, mas o fato era que: naquele roll-up, a contagem foi feita normalmente porque os ombros de The Fabulous Moolah era os que estavam no ring, e não a de Wendi. É… Pequenos erros podem mesmo causar grandes consequências.

A Derrota do Redskin

Tatanka
Como muitos sabem, 99% dos superstars que fazem seu debut começam com uma boa onda de invencibilidade depois, mas um caso foi de alto abuso disso, e o nome, ou ring name, desse wrestler é Tatanka. É, esse nativo americano conseguiu quase 2 anos de invencibilidade, e em 2 anos, obviamente deve ter rolado DQ, count-out, interferência, mas ele não tinha levado um pin todo esse tempo. Isso até o WWE Superstars do dia 30 de Outubro de 1993, onde em uma luta contra Ludvig Borga, tudo ia normalmente quando Mr. Fuji apareceu no lado de fora do ring balançando a bandeira japonesa, e quando Borga jogou Tatanka para fora do ring.

Após isso, o referee decidiu tomar providência, e saindo do ring, foi impedir uma tentativa de ataque do Mr. Fuji, quando sem ver, quem realmente atacou foi o Borga com um ataque de steel chair nas costas do nativo americano. Depois disso, Ludvig joga Tatanka de volta para o ring e aplica o pin com um dedo. Aparentemente inconsciente, Tatanka não se movia, permitindo que Yokozuna, ao chegar no ring, o atacasse… Não, não sei que aliança e conspiração rolavam lá… Mas momentos depois, Lex Luger chegou para salvar Tatanka, que mais lesionado do que antes, teve que ficar fora de ação por alguns meses.

Somebody Call My Momma



Depois de quase vencer a sua temporada no NXT, de passar por manager de Alberto Del Rio, de humilhar vários lutadores locais no Superstars, Brodus Clay ficou inativo por semanas, e quando víamos várias promos dele falando que iria aparecer no próximo Raw… Esquece, não é nessa é na outra… E assim foi desde Novembro de 2011, com John Laurinaitis prometendo que colocaria Clay na Raw a cada semana, mas sempre com problemas de tempo. Isso teve fim no dia 9 de Janeiro deste ano, quando presenciamos uma coisa tão esperada e ignorada ao mesmo tempo, e com o anúncio de Justin Roberts, era chegar o momento: o debut de Brodus Clay na Raw.

Um silêncio estava no ar, quando de repente, é visto um globo de discoteca na titantron enquanto era tocada uma música totalmente inesperada do lutador. Tudo bem, isso deve ser algum engano… Então apareciam duas dançarinas na stage fazendo o que faziam melhor: dançar conforme a música. Não, sério. O que está acontecendo? Quando se ouvia o verso “Somebody call my momma” – theme essa que fora de Ernest “The Cat” Miller – sendo repetido algumas vezes, chegava o Brodus Clay com uma roupa retro.

Enquanto Brodus ia a caminho do ringue, muitas pessoas da plateia não sabiam como reagir naquele momento, fazendo no máximo, e aquilo estava tão estranho que provavelmente ninguém havia reparado em alguns canos de fogos de artifício que foram soltos depois da pose do trio discoteca. Depois desse “espetáculo”, quem era o oponente de Brodus? Ninguém menos do que o Curt Hawkins. Então segundos se passaram e um Running Crossbody foi visto cair em cima do Curt, seguido da contagem do pin. A festa rolava solta como se nada tivesse acontecido há um minuto, e assim foi semana após semana, até em pay-per-view e até que Big Show entrou em seu caminho, e, após 24 lutas, Clay perdia sua invencibilidade.

Barry Horowitz



Lembram quando eu falei que 99% dos Superstars que fazem debut ganham e depois passam por uma inda de vitórias? Então, no 1% restante, um superstar predominou nessa parte da porcentagem, e o nome desse superstar é Barry Horowitz, que conseguiu ficar 3 anos sem vencer uma match, de 1987 até 1990. Bom, de qualquer forma, é Horowitz quem tem uma das maiores sequências de derrotas na WWE, e isso teve fim em 1995, onde em uma WWE Action Zone, depois de um roll-up, Barry, depois de fazer seu return a WWE, consegue a sua primeira vitória contra o antes tão confiante Bodydonna Skip, que, acompanhado de sua valet, Sunny, nunca ficou tão envergonhado em sua carreira, querendo então uma rematch que ocorreu no WWE Superstars, e outra no Summerslam, onde nas duas matches Barry saiu vitorioso, conquistando também então a sua primeira vitória em um pay-per-view, enquanto há 5 anos atrás, alguém conseguia a sua primeira derrota um em pay-per-view…

Publicidade

Can You Believe It, Brother?!



Há muito tempo atrás, vários testemunhavam o “poder” de Hulk Hogan, desde o primeiro WrestleMania ele se mostrava invencível com o poder da Hulkamania e além de ter a maior participação consecutiva em WrestleManias (WrestleMania I até o WrestleMania IX), Hogan nunca perdeu em uma match nos pay-per-views que participava, isso desde de 1985, se mantendo como o WWE Champion até em 1990, no WrestleMania VI, quando foi desafiado pelo Intercontinental Champion, The Ultimate Warrior.

Era chegar do confronto, não, do Super confronto, ainda não, do Ultimate Confronto! Duas lendas estavam colocando os seus títulos em jogo, com grandes chances do rumo mudar na WWE, tudo isso em Toronto Skydome. Então, em uma das matches mais competitivas da WWE, depois de tentativas de Atomic Leg Drops e de Ultimate Splashes, The Ultimate Warrior conseguiu a contagem do pin e pela primeira vez o mundo viu Hulk Hogan perder em um pay-per-view, e não em um pay-per-view qualquer como podem ver…

Monday Night Wars



Dia 10 de Junho de 1996, esse era um dia em que ninguém esperava ver o desespero batendo na porta da WWE, mas esse desespero decidiu dar uma visitinha quando na WCW Monday Nitro, depois da visita surpresa de Kevin Nash e Scott Hall, e do Jackknife Powerbomb no presidente de lá, no Eric Bischoff, além de dar início à devastação da NWO, deu à WCW também o primeiro gosto de vitória ao saber que pela primeira vez, a Monday Nitro bateu a audiência do Raw, e isso continuou por 84 semanas seguidas, marcando a conhecida “Monday Night Wars”.

Felizmente para a WWE, essa guerra deu fim no dia 13 de Abril de 1998, quando no main event do Raw, “Stone Cold” Steve Austin começava uma rivalidade muito familiar para os fãs da WWE: contra Vince McMahon. Eis que então a WWE quebrava a invencibilidade de 84 semanas da wCw, porém isso não acabava por aí. A WWE ainda continuava a perder – só venceu 8 confrontos após isso, até que no dia 4 de janeiro de 1999, Raw e Nitro iriam para mais uma noite de disputa pela audiência. Disputa essa em que o Nitro levava a melhor por ser ao vivo, enquanto o Raw is War era gravado.

A wCw, mais precisamente Eric Bischoff, acredita que fazendo com que seus comentaristas dissessem ao vivo o que aconteceria no Raw, seus fãs não teriam motivos para trocar de canal, permanecendo no Nitro. Isso até que funcionou em algumas ocasiões, mas nesse dia o tiro saiu pela culatra. Tony Schiavoni anunciava que Mick Foley iria vencer The Rock em uma luta pelo WWE Championship pela primeira vez.

Imediatamente, mais de 600.000 residências trocaram de canal para ver Mick Foley que naquela altura lutava como Mankind ser campeão. Isso foi suficiente para a WWE vencer naquela noite, com 5.7 pontos de audiência contra 5.0 do wCw Nitro. A audiência da wCw nunca mais foi a mesma até que em 2001, Vince McMahon a comprou.

Quanto maior a altura…



Hulk Hogan passou por cada desafio durante a sua carreira, e vários para ele não eram tão fáceis, mas isso não era problema para o primeiro indicado do Hall of Fame, Andre The Giant, que dominando a WWE e todas as federações que passou pela sua carreira antes, nunca foi derrotado por 15 anos na WWE.

Bobby “The Brain” Heenan, percebendo isso, foi manager de Andre, e sabendo do poder do gigante, eles desafiaram Hulk Hogan pelo WWE Title no WrestleMania III, e Bobby estava tão confiante na vitória de Andre que ele gastou US$ 30.000 em um cinturão customizado para caber ao redor do Andre The Giant, mas uma coisa Heenan não esperava… Que Hulk estava com todo o apoio dos Hulkamaniacs para erguer o gigante e aplicar um Body Slam seguido por seu icônico Atomic Leg Drop.

…Maior a queda

Bruno Sammartino
No dia 17 de Maio de 1963, no Madison Square Garden, Bruno Sammartino depois de uma luta de 48 segundos contra Buddy Rogers, conquistou o WWE Title. Aí eu penso: em uma luta de menos de um minuto, Sammartino não deve manter o título por um longo tempo… E obviamente eu estaria enganado, pelo simples fato de que Bruno conseguiu manter o reinado por 8 anos, tendo claramente o recorde de maior tempo como WWE Champion.

Então chegava outro evento e coincidentemente na Madison Square Garden, no dia 18 de Janeiro de 1971, Bruno Sammartino estava marcado para defender o seu prestigiado título contra Ivan Kollof, e depois de um Russian Leg Drop da top rope, Kollof conquista o WWE Title, para a surpresa da grande plateia que estava presenciando esse momento. Depois chegou o ano de 1973 e Sammartino conseguiu o WWE Title de novo, e permaneceu no topo de novo, mas por 3 anos.

173-1



Desde o seu debut na WCW em 1997, Bill Goldberg foi distribuindo Spears e Jackhammers durante a sua carreira 173 vezes, a não ser que tenha contado vitórias por desqualificação, mas não importa né… Pois dentre essas vitórias, ele até venceu o Hulk Hogan pelo WCW Title em 1998.

Tudo estava ótimo para Goldberg, isso até no Starrcade de 1998, quando iria reter o Title contra Kevin Nash, líder da nWo Wolfpack, mas como era uma No Desqualification Match, o champion podia até esperar interferências, como as de Disco Inferno e Bam Bam Bigelow, mas o que não esperava era ver Scott Hall disfarçado de segurança atacando ele com um taser (máquina de choque) para impedir o seu Spear e impedir também o aumento da Streak para 174-0, colaborando para que Kevin Nash vencesse. E esse o fez, após um Jackknife Powerbomb, venceu Goldberg, ficando com o título.

21-1

Undertaker vs Brock Lesnar, Streak, 21-1
6 de abril, 2014. Essa data ficará na cabeça de todos os fãs presentes no Mercedes-Benz Superdome naquele dia. Não só na cabeça da deles, mas de todos os fãs assíduos da WWE. WrestleMania XXX, Undertaker vinha ao ringue para mais um desafio, o vigésimo segundo, desafios esses do qual ele venceu todos até então.

Foram lutas contra Jimmy “Superfly” Snuka, Jake “The Snake” Roberts, Giant Gonzalez, King Kong Bundy, Diesel, Sycho Sid, Kane, Big Boss Man, Triple H, Ric Flair, Big Show & A-Train, Randy Orton, Mark Henry, Batista, Edge, Shawn Michaels, Triple H e CM Punk, totalizando 21 vitórias.

O adversário da vez é Brock Lesnar, o monstro de capacidades incríveis estava disposto a acabar com a lendária streak de Undertaker. E, após uma luta fantástica, conseguiu o feito. O lendário Undertaker perdia e assim se encerrava de vez uma era, centenas de milhares de fãs se mostravam chocados com o feito de Lesnar.

Vale lembrar que essa derrota não manchou o legado de Undertaker, mas sim marcou o final de uma histórica carreira, carreira essa marcada por títulos, momentos marcantes e triunfos gloriosos do “Deadman“, The Undertaker.

Publicidade


O site WWEBrasil.com.br foi criado com a proposta de fornecer ao leitor os melhores artigos sobre pro-wrestling, em especial sobre a WWE.

Leia também